Conheça a psoríase, uma doença crônica e não contagiosa

Compartilhar está publicação

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

A psoríase é uma doença crônica e não contagiosa, que atinge a pele e as articulações e acomete cerca de 60 milhões de pessoas no mundo.  Causa lesões avermelhadas e descamativas na pele.

Se manifesta em qualquer parte do corpo, mas é mais comum no couro cabeludo, no joelho e nas costas.  

A causa exata da psoríase ainda não foi estabelecida. Ela multifatorial, e pode ser desencadeada por diversos fatores genéticos,  ambientais e emocionais. O histórico familiar é um importante fator de risco, e o estresse pode ser um desencadeador da doença entre as pessoas que têm predisposição genética.

Sinais e sintomas

Normalmente, a psoríase se manifesta por meio de manchas rosadas e descamativas na pele, cobertas por escamas esbranquiçadas ou prateadas. As manchas podem surgir em qualquer região do corpo, incluindo as unhas, o couro cabeludo, as palmas das mãos e as plantas dos pés. Doenças como o câncer de pele não melanoma às vezes têm aparência semelhante à da psoríase, por isso é importante ter o diagnóstico feito por um médico especializado.

Tratamento

A psoríase se manifesta de forma cíclica, ou seja, seus sintomas surgem e desaparecem periodicamente. Não há cura, mas existem diversas opções terapêuticas que permitem fazer um bom controle da doença:

  • Medicamentos tópicos, com cremes e pomadas
  • Tratamento sistêmico com medicações orais ou injeções
  • Tratamentos biológicos
  • Fototerapia, com aplicação de luz ultravioleta A ou ultravioleta B. O procedimento precisa ser realizado por médicos especializados.

Por fim, como as manchas muitas vezes estão visíveis na pele, os pacientes muitas vezes sofrem com o preconceito, o que compromete sua autoestima e qualidade de vida, podendo levar ao isolamento e desencadear depressão e outros problemas. Lembramos que a psoríase é uma doença crônica e não é contagiosa, ou seja, não pode ser transmitida por meio do contato com as lesões, não havendo evitar o contato com paciente.

 

 

Receba nossa newsletter

Newsletter

Explore outros temas

Tereza de Fátima e Silva descobriu o melanoma em estágio inicial.
Blog

Tereza de Fátima e Silva

A Tereza de Fátima e Silva vive em São Bento do Sapucaí, no interior e São Paulo, e trabalha como costureira. Alguns anos atrás, ela

Blog

Marcelle Mineiro

 A jornada contra o melanoma da Marcelle Mineiro começou quando ela notou uma pinta esquisita na perna. Por insistência da mãe, ela removeu o sinal,

Instituto Melanoma Brasil

faça sua parte, doe!

Receba nossa newsletter

Siga-nos nas redes sociais

Inscreva-se no canal

© 2021 Melanoma Brasil // Todos os direitos reservados

Seja um voluntário do Instituto

Faça parte do nosso banco de voluntários. Clique abaixo e preencha um formulário com seus dados e entraremos em contato para que você possa participar, com seus talentos, de ações desenvolvidas pelo Melanoma Brasil.

Faça sua doação!

small_c_popup.png

Cadastre-se

Receba nossa newsletter

Newsletter

X