diagnóstico do melanoma

Você tem uma lesão suspeita de melanoma? Conheça os exames que ajudam a confirmar o diagnóstico. 

Exame físico

O primeiro passo é um exame físico, feito no consultório do dermatologista. Durante a consulta, o médico observa as pintas, manchas ou sinais existentes na pele do paciente.

Dermatoscopia

Ainda durante a consulta, o dermatologista usa um dermatoscópio para observar as pintas, manchas ou sinais. Trata-se de um aparelho dotado de uma lente de aumento especial, que permite observar detalhadamente as estruturas da derme e identificar mais facilmente os sinais suspeitos.

Mapeamento corporal total e dermatosocopia digital

No caso de o paciente ter alto risco de câncer de pele, são indicados mapeamento corporal total e dermatoscopia digital. No exame, cada pinta do corpo é mapeada por meio de um dermatoscópio acoplado a uma câmera digital. Como as imagens ficam arquivadas, podem sempre comparadas entre si. Caso haja alterações ao longo do tempo, as pintas consideradas suspeitas serão removidas para biópsia, favorecendo o diagnóstico precoce.

Microscopia confocal

Este exame usa um microscópio de alta resolução que permite visualizar estruturas extremamente pequenas, como células e núcleos, e fornece ainda imagens instantâneas e em tempo real, auxiliando no diagnóstico do câncer de pele. A microscopia confocal é uma das mais modernas tecnologias e, de forma não invasiva, auxilia a investigação quando a dermatoscopia não é conclusiva, antes da realização da biópsia.

Biópsia

Após esses exames, a biópsia confirma o diagnóstico. Existem diferentes tipos de biópsia. A biópsia excisional remove completamente o tumor, enquanto a biópsia incisional remove um pequeno tecido do tumor para análise no microscópio, feita por um especialista em anatomia patológica.

Exame anatomopatológico

No exame anatomopatológico, os tecidos do tumor são examinados no microscópio por um médico patologista. O exame anatomopatológico confirma o diagnóstico e o tipo de melanoma, e traz informações importantes como a espessura de Breslow, ou seja, a profundidade do melanoma em milímetros – quanto maior a profundidade, mais avançado o melanoma. O exame mostra também o número de células do melanoma em multiplicação (índice mitótico) e a presença de satelitoses (pequenas ilhas de crescimento de células cancerosas próximas ao tumor) ou ulcerações. Melanomas com ulcerações têm maior risco de se disseminar.

Atualmente, o método para diagnóstico padrão-ouro é a biópsia com o respectivo exame anatomopatológico. Trata-se de um procedimento imprescindível para estabelecer o diagnóstico.

Instituto Melanoma Brasil

faça sua parte, doe!

Receba nossa newsletter

Siga-nos nas redes sociais

Inscreva-se no canal

© 2020 Melanoma Brasil // Todos os direitos reservados

small_c_popup.png

Cadastre-se

Receba nossa newsletter

Newsletter

X