O que o paciente de melanoma precisa saber sobre o coronavírus?

Compartilhar está publicação

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

 Devido à pandemia declarada pela Organização Mundial da Saúde, o Instituto Melanoma Brasil mostra o que o paciente de melanoma precisa saber sobre o coronavírus (Covid-19). Confira:   

 

  1. Primeiramente,  procure manter a serenidade e não entrar em pânico.
  2. Apesar de contarmos com uma abundância de conteúdos disponíveis, ao buscar informações sobre a doença, procure fontes de confiança, como o Ministério da Saúde. Não repasse informações de procedência desconhecida.
  3. Entre os pacientes de câncer, os que correm maior risco são os que estão fazendo quimioterapia ou se submeteram a transplante de medula.
  4. Pacientes de melanoma que tenham removido o tumor e estejam em acompanhamento não são considerados pacientes imunodeprimidos.
  5. Pacientes de melanoma em acompanhamento devem conversar com o médico sobre a necessidade de adiar ou não consultas e exames de rotina.

 

Recomendações para pacientes em tratamento oncológico:

  1. Esclareça todas as dúvidas com o médico e não interrompa o tratamento.
  2. Evite contato físico direto e cumprimentos com beijos, apertos de mãos e abraços, inclusive quando estiver no hospital.
  3. Evite contato com pessoas que tenham sintomas de gripe ou estejam investigando infecção pelo coronavírus.
  4. Tente evitar o contato que pessoas que tenham viajado para o exterior, mesmo que não apresentem sintomas. Assim, você minimiza riscos. 
  5. Caso manifeste sintomas de gripe, procure seu médico para orientações antes de ir ao pronto-socorro. Novamente, ao agir assim você minimiza riscos.
  6. Evite ambientes fechados e aglomerações.
  7. Peça aos familiares que estejam com sintomas gripais para permanecer de máscara ao se aproximar de você.
  8. Evite idas desnecessárias ao hospital ou à clínica. Aliás, se precisar de acompanhante, vá apenas com uma pessoa, que não pode ter sintomas de gripe.
  9. Permaneça o tempo indispensável no hospital ou clínica e evite circular pelo ambiente sem necessidade.

Recomendações para toda a população

  1. Embora sejamos um país latino e caloroso, cumprimente apenas a distância, sem beijos, abraços ou apertos de mãos.
  2. Evite visitar idosos com mais de 60 anos, pois são um dos principais grupos de risco. 
  3. Cuidado redobrado com a higiene. Lave as mãos com frequência e evite tocar o rosto. Ande com álcool gel.
  4. Se puder, fique em casa e só saia em caso de real necessidade.
  5. Cubra o rosto quando tossir.
  6. Por fim, não faça viagens ou longos deslocamentos, a menos que seja imprescindível.

 

 

Receba nossa newsletter

Newsletter

Explore outros temas

Não é só o paciente que sente na pele o melanoma. A médica Camilla Oliari conta como a história de sua avó, Dona Yvone, paciente de melanoma metastático, modificou sua vida e suas escolhas.
Blog

Camilla Oliari

Como sempre falamos aqui, não é apenas o paciente que sente o melanoma na pele. Aos 9 anos, Camilla Oliari viveu a difícil experiência de

Tereza de Fátima e Silva descobriu o melanoma em estágio inicial.
Blog

Tereza de Fátima e Silva

A Tereza de Fátima e Silva vive em São Bento do Sapucaí, no interior e São Paulo, e trabalha como costureira. Alguns anos atrás, ela

Instituto Melanoma Brasil

faça sua parte, doe!

Receba nossa newsletter

Siga-nos nas redes sociais

Inscreva-se no canal

© 2021 Melanoma Brasil // Todos os direitos reservados

Seja um voluntário do Instituto

Faça parte do nosso banco de voluntários. Clique abaixo e preencha um formulário com seus dados e entraremos em contato para que você possa participar, com seus talentos, de ações desenvolvidas pelo Melanoma Brasil.

Faça sua doação!

small_c_popup.png

Cadastre-se

Receba nossa newsletter

Newsletter

X