Maio é o mês internacional de combate ao melanoma. Fique atento às dicas para prevenção da doença

Compartilhar está publicação

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Instituto Melanoma Brasil lança sua nova campanha anual e promove ações para alertar a população sobre a doença, diagnóstico precoce e prevenção 

O melanoma é o tipo de câncer de pele mais agressivo que existe. Cuidar da pele e conhecer pintas e manchas é fundamental para prevenção da doença e diagnóstico precoce. Para alertar a população sobre os riscos e disseminar conhecimento sobre o tema, o Instituto Melanoma Brasil, ONG que atua na divulgação e conscientização sobre o melanoma, traz dicas de como proteger o maior órgão do corpo humano.

Mais comum entre os brasileiros, o câncer de pele sozinho apresenta mais casos no País do que os outros 17 tipos de tumores, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA). Todos os anos são diagnosticados mais de 100 mil novos casos da doença no mundo. “Por falta de informação, as pessoas não se preocupam e muitas delas nem imaginam que o câncer de pele pode matar, principalmente o melanoma, pois tem grande capacidade de metástase”, explica Rebecca Montanheiro, presidente da ONG.

O melanoma cutâneo é um tipo de câncer de pele originado pelas células que produzem a melanina, substância responsável pela cor da derme e apresenta 3% das neoplasias malignas da pele, apesar de ser o mais grave devido a sua alta chance de metástase. Segundo o INCA em 2016, a estimativa de novos casos de melanoma foi de 5.670, sendo 3 mil em homens e 2.670 em mulheres.

A seguir informações sobre sinais, sintomas, fatores de risco e prevenção.

Sinais e sintomas:

– Manchas que coçam, ardem, escamam e sangram

– Sinais ou pintas que mudam de tamanho

– Feridas que não cicatrizam a mais de quatro semanas

– Mudanças na textura da pele

ABCDE, regra didática que ajuda a reconhecer a doença em seu estágio inicial:

Assimetria: imagine uma divisão no meio da pinta e verifique se os dois lados são iguais. Se apresentarem diferenças deve ser investigado

Bordas irregulares: verifique se a borda está irregular, serrilhada, não uniforme

Cor: verifique se há várias cores misturadas em uma mesma pinta ou mancha

Diâmetro: veja se a pinta ou mancha está crescendo progressivamente

Evolução: Modificação das características das pintas ao longo do tempo

Fatores de risco:

– Exposição solar

  • Pessoas que tomaram muito sol ao longo da vida sem proteção têm risco aumentado. Quanto mais queimaduras solares a pessoa sofreu, maior é o risco de desenvolver câncer de pele

– Características da pele

  • Pessoas com a pele clara, olhos claros, com cabelos loiros ou ruivos
  • Pele que sempre se queima e nunca bronzeia quando exposta ao sol
  • Pessoas com muitas pintas espalhadas pelo corpo

            – Histórico pessoal

  • Pessoas que já tiveram um câncer de pele ou lesão pré-cancerosa anteriormente têm mais chances de desenvolver um novo melanoma

         – Histórico familiar

  • O melanoma é mais comum em pessoas que têm antecedentes familiares da doença

            Prevenção:

  • Faça o autoexame regular da pele. Fique atenta a qualquer alteração
  • Evite a exposição excessiva ao sol das 10h às 16h
  • Aplique diariamente o protetor solar. Use produtos com proteção contra radiação UVA e UVB e que tenha fator de proteção solar (FPS) 30. Faça aplicações a cada duas horas se estiver na piscina ou em atividades ao ar livre
  • Mantenha bebês e crianças protegidos do sol. Filtros solares podem ser usados a partir dos seis meses
  • Consulte um dermatologista uma vez por ano, no mínimo, para um exame completo
  • Mantenha uma alimentação saudável e rica em vitaminas

A ONG Melanoma Brasil surgiu em abril de 2014 e foi criada por Rebecca assim que recebeu o diagnóstico da doença. “Percebi que no Brasil havia poucos locais com informações sobre o tema, além de não existir nenhum espaço para compartilhamento de informações e experiências entre pacientes”, conta. Atualmente, a ONG conta com mais de 200 pacientes cadastrados.

 

Receba nossa newsletter

Newsletter

Explore outros temas

Entrevista – Melanoma ocular

O melanoma ocular, tipo de câncer que atinge células produtoras da melanina, pigmento responsável pela coloração da pele e dos olhos, correspondem a 5% de

Eu Senti na Pele – Valéria Candal

Valéria Candal sentiu uma de suas vistas embaçar e achou que poderia ser apenas uma gripe. Como o incomodo não passava, foi investigar e descobriu

Instituto Melanoma Brasil

faça sua parte, doe!

Receba nossa newsletter

Siga-nos nas redes sociais

Inscreva-se no canal

© 2020 Melanoma Brasil // Todos os direitos reservados

small_c_popup.png

Cadastre-se

Receba nossa newsletter

Newsletter

X