FALA DOUTOR: Entrevista com Dra. Ana Cristina Guimarães Martins

Compartilhar está publicação

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Tomar sol, curtir uma praia ou ficar horas e horas na piscina. Quem não gosta? Porém, sabemos dos danos que a exposição solar sem proteção e em determinados horários pode provocar sérias lesões na pele. Mas muitos não levam essa informação a sério. Na entrevista desta edição, a Dra. Ana Cristina Guimarães Martins, dermatologista e membro do Comitê Científico do Instituto Melanoma Brasil, reforça a informação de que se proteger é fundamental, entre outras dicas. Confira:

Melanoma Brasil: Quais os riscos que corremos durante a exposição solar sem proteção?

Ana Cristina: A exposição solar sem proteção traz vários riscos. Entre eles, queimaduras solares, envelhecimento precoce, surgimento de rugas e manchas e o desenvolver câncer de pele (carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e o tão temido melanoma, o tipo mais grave).

Melanoma Brasil: O calor também faz mal para a pele ou somente a exposição solar em horários inadequados e sem a devida proteção?

Ana Cristina: Atualmente já se sabe que o calor também é prejudicial a pele, pois ocorre a emissão de radiação infravermelha. Durante o dia todo ocorre emissão de radiação ultravioleta A. Nos horários de picos de sol, temos também a radiação ultravioleta B, entre às 10 e 16 horas, sendo que nesse horário o cuidado deve ser redobrado, pois os danos são maiores. 

Melanoma Brasil: Apenas o uso de protetor solar basta para evitar as consequências do sol? 

Ana Cristina: Nos horários de maior pico, devemos recorrer a proteções físicas também, ficar sempre na sombra (debaixo de árvores ou de guarda-sóis), utilizar chapéu e roupas com proteção, além de usar óculos de sol. Atualmente existem roupas tratadas que conferem maior proteção aos danos da radiação, sendo indicadas para o horário de maior intensidade de radiação. Além disso, é fundamental ingerir bastante água para manter o organismo devidamente hidratado.

Melanoma Brasil: Barracas de praia protegem contra o sol?

Ana Cristina: Sim, mas não dispensam a proteção com os filtros solares. É um cuidado utilizado para evitar os dados do sol, mas além dele, deve-se reaplicar o filtro solar a cada duas horas e em situações de grande exposição ou após mergulhos no mar ou piscina ou quande se tem muita sudorese. 

Melanoma Brasil: Para quem quer aumentar ainda mais a proteção contra os riscos do sol, a alimentação é uma aliada?

Ana Cristina: Sim. O organismo todo se beneficia com uma alimentação adequada. Beber água é fundamental. Ingerir bastante água para evitar a desidratação, assim como ingerir alimentos ricos em vitaminas e minerais, encontrados nas frutas e verduras. 

Melanoma Brasil: Atualmente existe uma oferta muito grande de protetores solares o que nos deixa em dúvida sobre qual escolher. Como escolher o melhor produto?

Ana Cristina: Devemos utilizar filtros solares eficazes contra radiações UVA e UVB, indicados sempre no rótulo. Para o dia a dia, procure escolher um produto mais apropriado ao seu tipo de pele e no mínimo com fator de proteção solar 30. Já para uso na praia, piscina ou prática de atividades físicas no sol, opte por um filtro com maior resistência a água e suor.

Melanoma Brasil: As pessoas acham que quanto maior o fator de proteção, mais protegidas elas estarão. Isso é verdade?

Ana Cristina: Na verdade mais importante que isso é a reaplicação do filtro solar e também a aplicação da quantidade adequada. Ou seja, não adianta aplicar uma fina camada do protetor, que diminui a proteção. A camada deve ser de generosa para ampla proteção e reaplicada a cada duas horas.

Melanoma Brasil: O autoexame da pele é muito importante. Mas qual a frenquência que devemos procurar um dermatologista?

Ana Cristina: O autoexame da pele deve ser realizado mensalmente, oriento escolher um dia do mês e ir em frente a um espelho para observar as pintas. Neste momento, devemos prestar atenção nas seguintes características: simetria da lesão, se as bordas são regulares, se a coloração é uniforme, o tamanho das pintas e se cresceu rápido. Do contrário, procure um especialista. Mas se aparentemente estiver tudo bem,  o recomendado é ir uma vez ao ano ao dermatologista. Para aquelas pessoas com histórico pessoal ou familiar de câncer de pele, trabalha exposto ao sol ou teve queimaduras na infância, o indicado é visitar frequentemente o dermatologista e intensificar os cuidados.

Melanoma Brasil: Sabemos que peles de bebês e idosos são mais sensíveis. Quais os cuidados que devem ser adotados?

Ana Cristina: Os bebês tem pele muito sensível e por este motivo devem usar filtro solar somente a partir dos seis meses de idade. Antes disso, podem apenas se expor ao sol nos horários adequados e protegidos com roupas e chapéu. Filtros comuns nesta fase podem desencadear alergias. Os idosos geralmente têm uma pele mais ressecada e já muito danificada pelo sol. Nedte caso, é fundamental dar preferência a filtros solares que tenham também a função de hidratar a pele.

Receba nossa newsletter

Newsletter

Explore outros temas

Entrevista – Melanoma ocular

O melanoma ocular, tipo de câncer que atinge células produtoras da melanina, pigmento responsável pela coloração da pele e dos olhos, correspondem a 5% de

Eu Senti na Pele – Valéria Candal

Valéria Candal sentiu uma de suas vistas embaçar e achou que poderia ser apenas uma gripe. Como o incomodo não passava, foi investigar e descobriu

Instituto Melanoma Brasil

faça sua parte, doe!

Receba nossa newsletter

Siga-nos nas redes sociais

Inscreva-se no canal

© 2020 Melanoma Brasil // Todos os direitos reservados

small_c_popup.png

Cadastre-se

Receba nossa newsletter

Newsletter

X