Entrevista – Especial Dr. Responde!

E

As dúvidas sobre o tema melanoma são muitas e não param de surgir. Para atender a demanda de perguntas que recebemos, preparamos um compilado da seção “Dr. Responde!” com as principais delas respondidas pelos médicos que integram o nosso Comitê Cientifico na seção Pintou Dúvida!? Dr. Responde. Acompanhe!

Um melanoma in situ pode causar metástases?

Resposta: Um melanoma in situ é uma lesão pré-maligna, mas não é uma lesão invasiva. Conceitualmente, não se espera metástases nesse caso. Porém, se observarmos a literatura médica, existem relatos de casos de melanoma in situ com metástases, embora sejam extremamente raros. Uma das explicações para isso é que talvez existam áreas do melanoma agressivo que já sofreram regressão, ou seja, não é mais possível capturar o componente invasivo do tumor e se enxerga apenas um melanoma in situ. No entanto, a lesão foi capaz de gerar metástases.

O que é Mapeamento Corporal Total e Dermatoscopia Digitais? Eu preciso fazer este exame?

Resposta: Este é um exame que consiste numa documentação fotográfica em imagens de alta resolução da pele e das pintas. O exame é indicado para quem tem alto risco de desenvolver câncer de pele do tipo melanoma. Por exemplo, pessoas que já tiveram melanoma no passado e serve para identificar as pintas com que devemos nos preocupar. Apenas fazer o exame, não significa que o surgimento de um melanoma será evitado. Entretanto, ele é capaz de detectar precocemente antes que um melanoma surja. Vale lembrar, que o Mapeamento Corporal Total e Dermatoscopia Digitais não substituem a biópsia como método para diagnóstico, ou seja, caso haja a suspeita de uma pinta, esta deve ser retirada e analisada. O Mapeamento Corporal Total e Dermatoscopia Digitais é a melhor de forma de realizarmos um acompanhamento periódico, pois as imagens ficam arquivadas no prontuário do paciente, podendo ser comparadas entre si. No caso de alterações, tais pintas serão consideradas suspeitas e removidas.

O exame de PET/CT consegue captar metástases ósseas?

Resposta: O PET/CT (sigla em inglês para tomografia por emissão de pósitrons) é um exame capaz de detectar metástases do melanoma. Entretanto, ele não é um exame específico para o câncer, sendo também indicado para diagnosticar inflamações, infecções, áreas de cicatrização e alterações relacionadas a cirurgias. Quanto às metástases ósseas, ela podem sim ser detectadas pelo PET/CT, mas isso depende das dimensões e localização. Lesões muito pequenas podem passar despercebidas.

Com que frequência devo fazer exames após ter melanoma?

Resposta: Não há uma definição de quantos exames devem ser feitos ou sua periodicidade. É importante ressaltar que pacientes que já tiveram melanoma devem passar por consultas periódicas, com dermatologista, oncologista clínico ou cirurgião oncológico, frequentementes. A frequência desses exames e consultas, e a necessidade de usar outras ferramentas, como tomografias e ultrassonografias devem ser discutida com o médico e ajustada em função do risco do melanoma.

Quem teve melanoma pode ser doador de órgãos, sangue ou medula?

Resposta: Pacientes que tiveram melanoma não podem doar órgãos, sangue ou de medula óssea. O histórico de melanoma inviabiliza a doação de órgãos não afetados, pois algumas células cancerígenas podem permanecer no organismo, mesmo após a remoção do tumor.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.