O que é o melanoma no couro cabeludo?

Como o melanoma pode surgir no couro cabeludo

Compartilhar está publicação

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

O melanoma pode surgir em qualquer parte do corpo, inclusive as não expostas ao sol, como o couro cabeludo. Apesar de o melanoma no couro cabeludo representar apenas 6% dos casos de melanoma, provoca 10% das mortes decorrentes da neoplasia. Como é um local difícil de visualizar, a lesão fica coberta pelos cabelos e demora a ser percebida, o que pode atrasar o diagnóstico e diminuir a chance de cura.

Qualquer pessoa pode desenvolver melanoma no couro cabeludo, mas a doença atinge principalmente homens idosos, calvos e com histórico de exposição solar. A calvície aumenta o risco pois os cabelos protegem o couro cabeludo contra os efeitos da radiação ultravioleta. Mas o tumor pode surgir também em homens e mulheres de vasta cabeleira. Assim, é importante cuidar da proteção do couro cabeludo com chapéus ou bonés, ou mesmo protetor solar quando possível.

Assim como outros tipos da doença, os sinais suspeitos do melanoma no couro cabeludo são lesões assimétricas, de coloração variada, que mudam de cor, forma ou tamanho.  Existem muitas lesões benignas que podem ocorrer na região. Por isso, ao perceber um sinal suspeito, é fundamental procurar um médico para obter o diagnóstico correto.

Aliados na detecção do melanoma de couro cabeludo

Falando em sinal suspeito, é importante lembrar que os cabeleireiros são grandes aliados na detecção precoce da doença. Como sempre observam o couro cabeludo dos seus clientes durante as lavagens, escovas, tinturas e cortes, eles podem sugerir avaliação medica se encontrarem um sinal suspeito. Mas atenção: os cabeleireiros podem e devem sugerir a avaliação, mas o diagnóstico deve sempre ser feito por um médico.

Desde 2017, o programa Juntos Contra o Melanoma, iniciativa do Grupo Brasileiro de Melanoma (GBM) da qual tenho a honra de ser idealizador e coordenador,  oferece treinamentos gratuitos para cabeleireiros que desejam se conscientizar sobre a doença, agregar mais valor aos serviços prestados e, de quebra, ajudar a salvar vidas. Juntos somos mais fortes contra o melanoma! Para conhecer melhor o nosso trabalho, acesse juntoscontraomelanoma.com.br e @juntoscontraomelanoma.

Receba nossa newsletter

Newsletter

Explore outros temas

Não é só o paciente que sente na pele o melanoma. A médica Camilla Oliari conta como a história de sua avó, Dona Yvone, paciente de melanoma metastático, modificou sua vida e suas escolhas.
Blog

Camilla Oliari

Como sempre falamos aqui, não é apenas o paciente que sente o melanoma na pele. Aos 9 anos, Camilla Oliari viveu a difícil experiência de

Tereza de Fátima e Silva descobriu o melanoma em estágio inicial.
Blog

Tereza de Fátima e Silva

A Tereza de Fátima e Silva vive em São Bento do Sapucaí, no interior e São Paulo, e trabalha como costureira. Alguns anos atrás, ela

Instituto Melanoma Brasil

faça sua parte, doe!

Receba nossa newsletter

Siga-nos nas redes sociais

Inscreva-se no canal

© 2021 Melanoma Brasil // Todos os direitos reservados

Seja um voluntário do Instituto

Faça parte do nosso banco de voluntários. Clique abaixo e preencha um formulário com seus dados e entraremos em contato para que você possa participar, com seus talentos, de ações desenvolvidas pelo Melanoma Brasil.

Faça sua doação!

small_c_popup.png

Cadastre-se

Receba nossa newsletter

Newsletter

X