Como empregadores podem promover a prevenção do câncer de pele?

Reconhecida mundialmente por ser a maior geradora de energia limpa e renovável do planeta, a Itaipu Binacional, operadora da Usina Hidrelétrica de Itaipu, também é um exemplo quando o assunto é a segurança de seus colaboradores. Falamos com Gilvan Bubiak, gerente do Departamento de Engenharia de Segurança e Medicinado Trabalho, que nos conta quais medidas preventivas tomadas pela empresa em relação à exposição solar ocupacional. Confira:

 

Melanoma Brasil: Muitos profissionais da Itaipu Binacional trabalham expostos ao sol e ao ar livre. Quais medidas preventivas a empresa toma em relação à saúde desses colaboradores?

Gilvan Bubiak: Tudo começa com uma avaliação para aferir as condições ambientais as quais o trabalhador está exposto.  Essa ação faz parte do nosso Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) em que avaliamos, por exemplo, os níveis de exposição ocupacional a ruído, produtos químicos, agentes biológicos, radiação solar, entre outros. A partir daí, se o risco é contemplado, são propostas medidas de controle para eliminação ou atenuação do risco. No caso da exposição solar, os colaboradores recebem Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), que no caso são desde vestimentas com proteção UV, filtro solar até bonés ou chapéus e óculos. Este programa é de gestão dos profissionais da Engenharia de Segurança do Trabalho. A partir daí são feitas avaliações para monitorar a saúde do trabalhador.

Um ponto importante, é que as vestimentas com proteção UV, ainda que não consideradas formalmente como EPIs por não possuírem certificação do Ministério do trabalho e Emprego, são fornecidas aos empregados que realizam atividades com exposição solar a titulo de uniforme, o que também garante a proteção dos trabalhadores nesta condição. 


Melanoma Brasil: Como são feitas essas avaliações?

Gilvan Bubiak: Essas avaliações são realizadas anualmente para todos os trabalhadores durante o exame médico periódico. Nelas, são feitos exames que consideram os riscos aos quais o trabalhador é exposto e, a partir daí, se verifica se as medidas de controle estão sendo suficientes para garantir a proteção do trabalhador.
Uma situação que pode ocorrer, é que nessas avaliações são identificados problemas de saúde provocados por fatores externos, não relacionados ao trabalho, como genética ou de comportamento. A partir daí é possível que esse trabalhador tenha que ser afastado do risco, com mudança de atividades, ou receber um equipamento de proteção especial, como um filtro solar específico que não é o adotado normalmente pela empresa. Nestes casos pontuais, oferecemos o produto de acordo com a necessidade do profissional.

 
Melanoma Brasil: É feito algum tipo de orientação para que os profissionais usem os EPIs de forma adequada? 

Gilvan Bubiak: Sim, isso é feito durante a entrega dos EPIs e também na realização do exame periódico. Contamos também com campanhas durante o ano, via e-mail, jornal e nos nossos murais internos, orientando e reforçando esse tipo de cuidado. 

 
Melanoma Brasil: Os colaboradores tratam o uso do filtro solar e de outras medidas preventivas como parte dos equipamentos de proteção individual?

Gilvan Ricardo Racki Bubiak: A conscientização tem aumentado bastante na empresa. A demanda de solicitações de protetor solar é cada vez maior e percebemos que eles estão usando. Recebemos feedbacks se o protetor é bom, se espalha bem, se tem cheiro agradável. As pessoas estão cada vez mais informadas e conscientes dos perigos causados pelo sol e estão se cuidando. A responsabilidade é mútua. A empresa faz a parte dela e o trabalhador também. Dessa foram, todos saem ganhando.

 
Melanoma Brasil: Como o filtro solar é oferecido aos profissionais?

Gilvan Ricardo Racki Bubiak: Distribuímos de forma individual, com a entrega de frascos aos colaboradores, e contamos também com áreas, espalhadas em pontos específicos da empresa, com bisnagas para uso coletivo, permitindo que caso alguém tenha esquecido ou vá para uma área ao ar livre, possa utilizar. Itaipu é uma empresa que trabalha com licitação, buscamos sempre o melhor custo-benefício, porém sem abrir mão da qualidade. Estamos sempre em busca do que é melhor para garantir a proteção dos nossos colaboradores. 

 
Melanoma Brasil: Existe algum tipo de fiscalização para verificar se os profissionais estão tomando os devidos cuidados? Se sim, como é feita?

Gilvan Bubiak: A fiscalização é inerente às nossas atividades para todos os EPIs. Porém, é fácil identificar se o profissional está usando a roupa adequada, óculos escuros, entre outros equipamentos. Já o protetor solar é mais difícil, pois não conseguimos comprovar se o profissional está ou não fazendo com o produto aplicado no corpo. Mas mesmo assim, recomendamos o uso diário e a reforçamos a importância das reaplicações no decorrer das atividades.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.