Pacientes de melanoma devem se vacinar contra a Covid-19?

Pacientes de melanoma devem se vacinar contra a covid-19?

Compartilhar está publicação

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

 Pacientes de melanoma devem se vacinar ou não? A vacinação em pacientes oncológicos sempre traz dúvidas. Antes de mais nada, os pacientes que já retiraram um melanoma e não estão mais em tratamento não têm nenhum tipo de restrição e podem ser vacinados normalmente. Contudo, nos casos de pacientes de melanoma em tratamento, com o início da vacinação contra o SARS-COV-2, surgem dúvidas sobre a possibilidade de também participarem do Plano Nacional de Vacinação

As informações apresentadas estão baseadas nas evidências científicas que se tem até o momento, que podem ser detalhadas ou aperfeiçoadas conforme os estudos clínicos com pacientes de melanoma e vacinas avançarem. De modo geral, os pacientes de melanoma podem e devem ser vacinados contra o SARS-COV-2 conforme a vacina se tornar disponível. 

Uma vez vacinado (tanto após a primeira quanto a segunda dose das vacinas atualmente aprovadas no Brasil), o paciente de melanoma não deve relaxar os cuidados contra o contágio de Covid-19. É preciso continuar usando máscara, higienizando as mãos com água e sabão ou álcool gel com frequência. Além disso, é preciso evitar aglomerações e mantendo o distanciamento social. Veja mais detalhes sobre a vacinação de pacientes de melanoma contra o SARS-COV-2.

 

  1. Por que vacinar pacientes de melanoma contra Covid-19?

Todos os tipos de doenças oncológicas expõem o paciente a uma vulnerabilidade maior. Isso significa que pacientes de melanoma estão no grupo de risco para complicações da Covid-19. Estudos mostraram que o SARS-COV-2 pode causar infecção de maior gravidade em pacientes oncológicos, com mortalidade variando de 6% a 61%, muito mais alta do que na média da população, em que esse número é entre 2% a 6%. 

Portanto, a vacinação pode reduzir a morbidade e mortalidade da Covid-19 nos pacientes de melanoma, até mesmo ao reduzir a gravidade da infecção nestes pacientes. Além disso, as complicações da Covid-19 podem interferir negativamente no tratamento oncológico, atrasando ou impedindo exames, terapias e monitoramento. 

 

  1. Os pacientes de melanoma em tratamento devem ser vacinados?

Sim. Devido ao alto risco de complicações ao qual está associada, dada a mortalidade do vírus entre os pacientes oncológicos, esta população terá benefícios maiores do que os riscos com a vacinação. Contudo, em indivíduos imunossuprimidos, é preciso avaliar caso a caso o uso de vacinas contendo vírus vivo atenuado. As possíveis ressalvas devem ser avaliadas pelo médico responsável pelo paciente.

 

  1. As vacinas contra Covid-19 são seguras para pacientes de melanoma?

Sim. Ainda há pesquisas limitadas com este grupo específico. Mas o saber médico e científico disponível indica que as vacinas de forma geral são seguras, exceto as vacinas com vírus vivo atenuado ou com vetor de replicação-competente, mesmo durante o tratamento.

 

  1. As vacinas de Covid-19 são eficientes nos pacientes de melanoma?

Acredita-se que sim. Diante dos estudos disponíveis até hoje, o cenário que se tem é que pacientes oncológicos de forma geral têm hospitalizações reduzidas por vacinas nos casos de influenza, doença pneumocócica e herpes zoster, devido ao efeito protetor sugerido pelos resultados dos estudos. Isso significa menos interrupções no tratamento e redução geral no risco de morte. Com base nos resultados destas e de outras vacinas, extrapola-se que as vacinas contra Covid-19 baseadas em agentes não-vivos tenham eficácia e segurança similar à população geral. É claro que a eficácia pode variar individualmente em função do tipo de melanoma, estágio do tratamento e condição geral do paciente. No entanto, os benefícios da vacinação tendem a ultrapassar grandemente os riscos. 

 

  1. O tratamento para melanoma pode interferir na eficácia da vacinação?

Sim. Pacientes em tratamento com quimioterapia, imunoterapia ou terapia-alvo têm algumas restrições. Isto porque são tratamentos que afetam a capacidade de resposta imunológica do paciente e podem alterar a resposta imunológica protetora do paciente à vacinação. No caso de pacientes em uso de imunoterápicos, o estímulo da vacina poderá interferir tanto na geração da resposta à vacina quanto nos efeitos colaterais. Mais dados devem estar disponíveis conforme estudos específicos forem sendo consolidados. 

Pacientes em tratamento com imunoterapia na forma de bloqueadores de co-receptores imunes, também chamados inibidores de checkpoint imunológico, têm maior risco de complicações com a Covid-19. No momento, não é claro se eles podem apresentar reações adversas exacerbadas ou complicações ao receber uma vacina viral. Ainda assim, extrapolando a experiência com a vacinação contra influenza, os benefícios ainda superam os riscos, especialmente quando não houver outras complicações.  

 

  1. Qual o momento ideal para vacinar o paciente de melanoma?

O momento ideal é antes de iniciar o tratamento, mas ponderando riscos e benefícios, os pacientes podem ser vacinados a qualquer momento. A ressalva são os pacientes imunossuprimidos, que devem evitar as vacinas feitas a partir de vírus vivo atenuado. 

 

  1. Pacientes que já terminaram o tratamento para melanoma devem ser vacinados?

Sim. Uma vez concluído o tratamento, desde que não haja uma outra contraindicação, como alergias, estes pacientes devem ser vacinados assim como o restante da população, sem restrições específicas.

 

Receba nossa newsletter

Newsletter

Explore outros temas

Notícias

Destaques do ASCO 2021 para melanoma

Entre os dias 4 e 8 de junho, ocorreu o congresso anual da ASCO (Sociedade Americana de Oncologia Clínica). Maior evento mundial do gênero, o

Gicéler de Marco permitiu a detecção precoce do melanoma em seu marido, Ademir Agostineto.
Eu Senti na Pele

Gicéler de Marco

O amor faz diferença em muitos aspectos da vida, inclusive no cuidado com a saúde e na detecção precoce do melanoma. Neste Dia dos Namorados,

Instituto Melanoma Brasil

faça sua parte, doe!

Receba nossa newsletter

Siga-nos nas redes sociais

Inscreva-se no canal

© 2021 Melanoma Brasil // Todos os direitos reservados

Faça sua doação!

small_c_popup.png

Cadastre-se

Receba nossa newsletter

Newsletter

X