Cuidados com a pele no inverno

Compartilhar está publicação

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

A prevenção do câncer de pele e os cuidados não devem parar no inverno. O sol durante as estações mais frias, apesar do parecer mais fraco, continua emitindo os raios UVA e UVB, responsáveis ​​pelos tumores cutâneos. Pacientes com melanoma devem redobrar a atenção neste período. Confira a entrevista e dicas da Dra. Ana Cristina Guimarães Martins, dermatologista e integrante do Conselho Consultivo do Instituto Melanoma Brasil.

Melanoma Brasil: É verdade que os raios ultravioletas do inverno podem ser mais fortes e prejudiciais do verão?

Dra Ana Cristina Guimarães Martins: Como radiações ultravioletas, emitidas pelo sol, ocorrem em todas as estações do ano. A radiação ultravioleta permanece durante todo o dia, enquanto a ultravioleta B incide entre 10 e 16 horas. O que ocorre no verão também é afetado pela radiação infravermelha de forma mais intensa, pois essa fonte fornece calor. O modo geral de cuidado deve manter o ano inteiro, independente da estação. Entretanto, nenhum inverno deve reduzir os cuidados e intensificar a hidratação, além de manter uma fotoproteção regular.
 
Melanoma Brasil: Quais cuidados com a pele ou com o paciente de melanoma devem ocorrer durante as estações com baixa temperatura?

Dra. Ana Cristina Guimarães Martins: mantenha uma fotoproteção diária, reaplicando cada duas horas se estiver exposta ao sol. Outros cuidados fundamentais são: tomar banhos rápidos e com água morna, evitar banhos quentes, usar bucha vegetal ou esponja no corpo durante o banho. É fundamental usar um sabonete suave e após o banho hidratar a pele. Vale lembrar, que uso de óleo corporal não dispensa ou hidrata. É importante que a hidratação seja realizada antes da fotoproteção. Uma ótima opção são os filtros solares com agentes hidratantes já incorporados.
 
Melanoma Brasil: Durante o inverno o número de consultas para verificação e acompanhamento de lesões cutâneas costuma diminuir?

Dra. Ana Cristina Guimarães Martins: As lesões de pele, como melanocíticas, mantêm-se regularmente durante todo o ano. Há pacientes que estão indicados em avaliação anual ou semestral, independente da estação. Além disso, como “diferentes” pinturas surgem em qualquer época do ano e muitos pacientes são especialistas nessa época para usar filtros mais usados ​​no frio para melhor cicatrização devido à exposição solar menos intensa nessa época.
 
Melanoma Brasil: Quais são as principais doenças de pele que ocorrem com maior frequência no inverno? É possível evitá-las?

Dra. Ana Cristina Guimarães Martins:O inverno é curado com doenças relacionadas ao frio, como por exemplo o eczema seborreico, popularmente conhecido como caspa, que é descamação e vermelhidão, com frequência bastante frequente no couro cabeludo (mas também pode usar o rosto e o tronco) e é agravado com uma frequência de banhos quentes. Outra doença incidente nessa estação é uma dermatite atópica, doença em que o indivíduo tem predisposição para alergia de pele. Por fim, outra doença com piora no inverno é psoríase, doença que se manifesta com placas avermelhadas e descamativas em couro e corpo, usando inclusive unhas e em alguns casos casos como articulações. Nela, uma função barreira fica danificada e se manifesta com manchas avermelhadas que coçam muito, nas dobras corporativas.
 
Para reduzir as doenças relacionadas ao inverno, a hidratação cutânea e os cuidados já citados na hora do banho devem ser realizados diariamente.Outra dica importante é evitar o uso de hidratantes coloridos ou muito perfumados, pois eles são mais aditivos químicos, podendo aumentar a sensibilidade cutânea. Já em relação aos cabelos, eles devem ser lavados e secados em temperatura morna, evitando dormir com os mesmos úmidos ou molhados.
 
Melanoma Brasil: Sabemos que banhos quentes durante o inverno prejudicam a pele. Quais outras atitudes devem ser evitadas durante a estação?
Dra Ana Cristina Guimarães Martins: Devemos evitar vários banhos ao dia, além de evitar o uso de esponja ou bucha e agentes esfoliantes.Não podemos esquecer de manter uma alimentação saudável, beber água, realizar atividades físicas e manter o equilíbrio mental. Reforçar a importância da hidratação e fotoproteção. A pele reflete a saúde em geral do nosso organismo.

Receba nossa newsletter

Newsletter

Explore outros temas

Não é só o paciente que sente na pele o melanoma. A médica Camilla Oliari conta como a história de sua avó, Dona Yvone, paciente de melanoma metastático, modificou sua vida e suas escolhas.
Blog

Camilla Oliari

Como sempre falamos aqui, não é apenas o paciente que sente o melanoma na pele. Aos 9 anos, Camilla Oliari viveu a difícil experiência de

Tereza de Fátima e Silva descobriu o melanoma em estágio inicial.
Blog

Tereza de Fátima e Silva

A Tereza de Fátima e Silva vive em São Bento do Sapucaí, no interior e São Paulo, e trabalha como costureira. Alguns anos atrás, ela

Instituto Melanoma Brasil

faça sua parte, doe!

Receba nossa newsletter

Siga-nos nas redes sociais

Inscreva-se no canal

© 2021 Melanoma Brasil // Todos os direitos reservados

Seja um voluntário do Instituto

Faça parte do nosso banco de voluntários. Clique abaixo e preencha um formulário com seus dados e entraremos em contato para que você possa participar, com seus talentos, de ações desenvolvidas pelo Melanoma Brasil.

Faça sua doação!

small_c_popup.png

Cadastre-se

Receba nossa newsletter

Newsletter

X