Você sabe o que são BRAF e MEK?

BRAF e MEK são dois tipos de genes humanos que fazem parte de uma máquina celular complexa que diz para a célula quando ela deve crescer e multiplicar, ou não, uma espécie de “botão liga e desliga” do crescimento celular. No decorrer dos anos, pesquisas identificaram que esses genes estariam relacionados ao gene do melanoma e de outros tipos de câncer também.  Desde então, medicamentos são desenvolvidos dirigidos por BRAF e MEK para o tratamento da doença.

Novas terapias alvo para partes específicas das células cancerígenas têm se tornado uma opção de tratamento padrão para muitos pacientes. Estes medicamentos alvo funcionam de forma diferente dos quimioterápicos padrões e têm efeitos colaterais diferentes. Saiba um pouco mais sobre eles:

Gene BRAF e inibidores

Quase metade dos casos de melanoma tem mutações no gene BRAF. Estas alterações fazem com que o gene produza uma alteração na proteína BRAF que faz com que as células do melanoma cresçam e se dividam rapidamente, criando metástases.  Pacientes com melanoma avançado devem ter seu material de biópsia testado para determinar se têm uma mutação no gene BRAF. Os medicamentos que têm como alvo a proteína BRAF não devem ser utilizados em pacientes que não tenham a mutação no gene BRAF.

O Vemurafenibe e o Dabrafenib são medicamentos que tem como alvo as células de melanoma com a proteína BRAF. Estes medicamentos reduzem ou retardam o crescimento de tumores em alguns pacientes cujo melanoma é metastático. Eles também aumentam o tempo livre da doença, ou seja, o tempo até que o tumor volte a se desenvolver novamente, e aumentam a expectativa de vida de alguns pacientes. Essas drogas são administradas por via oral.

Porém, como todo medicamento, possuem alguns efeitos colaterais, tais como dor nas articulações, fadiga, perda de cabelo, erupção cutânea, prurido, sensibilidade ao sol, dor de cabeça, febre, náuseas, entre outros.

Gene MEK e inibidores

O gene MEK está na mesma via de sinalização no interior das células que o gene BRAF, de modo que os medicamentos que bloqueiam a proteína MEK também ajudam no tratamento de melanomas com alterações no gene BRAF.

Os inibidores de MEK Trametinib e Cobimetinib atuam em melanomas com alterações no gene BRAF, e também são administrados via oral. Erupções cutâneas, náuseas, diarreia, inchaço, sensibilidade à luz solar são alguns dos efeitos colaterais comuns que podem surgir.

Quando usado isoladamente, este medicamento não é tão eficaz como os inibidores de BRAF. A melhor abordagem na realidade é utilizar a combinação de um inibidor de MEK com um inibidor de BRAF. Esta estratégia é comprovadamente mais eficaz em reduzir os tumores por períodos de tempo maiores, e também em fazer os pacientes viverem mais, além de ter um perfil de efeitos colaterais mais favorável do que quando o inibidor de BRAF é utilizado sozinho.

Fonte: Oncoguia, American Cancer Society

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.