Cinco dúvidas sobre prevenção do melanoma em crianças

Compartilhar está publicação

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Apesar de extremamente raro, crianças também podem ter melanoma e outros tipos de câncer de pele. Além disso, como a radiação solar é cumulativa, é importante iniciar as medidas de fotoproteção desde cedo. Nossa consultora médica responde oito dúvidas comuns.

 

  1. Crianças podem ter melanoma?

Sim, mas é raríssimo. O melanoma pediátrico representa menos de 1% dos casos. Mas isso não diminui a necessidade de iniciar as medidas fotoprotetoras o mais rapidamente possível, pelo contrário. Quanto mais cedo começarem a se proteger, menores os riscos de tumores cutâneos no futuro. E estudos comprovam que o uso de filtro solar na infância diminui em até 40% o risco de melanoma na idade adulta.

 

  1. Bebês podem usar filtro solar?

– Bebês com até seis meses não podem usar filtro solar. A proteção deve ser feita com barreiras físicas: chapéu, guarda-sol, roupas com proteção UV. Importante sair ao ar livre nos horários de radiação solar menos intensa: antes das 10 horas da manhã e após as 16 horas da tarde.

 

  1. A partir de que idade as crianças podem usar filtro solar?

As crianças podem usar filtro solar a partir dos seis meses.  Assim, além das medidas descritas acima, devemos usar o fotoprotetor infantil, pois tem menor risco de alergia, já que a pele dos bebês é muito delicada.

 

  1. E para os adolescentes, qual a melhor opção de fotoprotetor?

Na adolescência, a atividade hormonal aumenta a oleosidade da pele. Nessa etapa, vale a pena optar por filtros solares oil free, ou seja, livres de óleo, para aplicar no rosto ou em áreas mais oleosas. Além de proteção, eles precisam de conscientização. Pais e professores explicar e reforçar a importância de reaplicar o produto algumas vezes por dia e usar óculos escuros, chapéus e outros métodos de proteção.  Como passam muito tempo ao ar livre, em atividades esportivas, educacionais e de lazer, precisam ser conscientizados sobre os efeitos dos raios solares e a necessidade de proteger a pele.

 

  1. Crianças e adolescentes precisam de autoexame na pele?

Com certeza! Como nem sempre os menores conseguem fazer sozinhos, os pais precisam estar sempre de olho e conhecer bem suas pintas e sinais. Procure um especialista caso haja dúvidas ou encontre lesões que se enquadrem na Regra do

A – assimetria

B- Bordas irregulares

C- Coloração alterada

D- Diâmetro maior que 5 mm

E – Evolução. A lesão muda de forma ou tamanho.

Ao incorporarmos as medidas de filtro solar à rotina de nossos pequenos, elas serão facilmente assimiladas como um hábito para a vida toda, trazendo inúmeros benefícios. A prevenção é sempre a melhor opção!

Receba nossa newsletter

Newsletter

Explore outros temas

Não é só o paciente que sente na pele o melanoma. A médica Camilla Oliari conta como a história de sua avó, Dona Yvone, paciente de melanoma metastático, modificou sua vida e suas escolhas.
Blog

Camilla Oliari

Como sempre falamos aqui, não é apenas o paciente que sente o melanoma na pele. Aos 9 anos, Camilla Oliari viveu a difícil experiência de

Tereza de Fátima e Silva descobriu o melanoma em estágio inicial.
Blog

Tereza de Fátima e Silva

A Tereza de Fátima e Silva vive em São Bento do Sapucaí, no interior e São Paulo, e trabalha como costureira. Alguns anos atrás, ela

Instituto Melanoma Brasil

faça sua parte, doe!

Receba nossa newsletter

Siga-nos nas redes sociais

Inscreva-se no canal

© 2021 Melanoma Brasil // Todos os direitos reservados

Seja um voluntário do Instituto

Faça parte do nosso banco de voluntários. Clique abaixo e preencha um formulário com seus dados e entraremos em contato para que você possa participar, com seus talentos, de ações desenvolvidas pelo Melanoma Brasil.

Faça sua doação!

small_c_popup.png

Cadastre-se

Receba nossa newsletter

Newsletter

X