Bronzeamento artificial aumenta risco de melanoma

Compartilhar está publicação

As câmaras de bronzeamento artificial são um perigo! Estudos mostram que seu uso pode aumentar até 75% a chance de desenvolver melanoma, o câncer de pele mais letal.
Em 2009, a Organização Mundial de Saúde classificou os equipamentos como um agente com alto potencial de causar câncer, no mesmo nível de outros agentes conhecidos, como o cigarro.
Por causa disso, o uso das câmaras de bronzeamento artificial com fins estéticos foi proibido no Brasil pela Anvisa em 2010 e segue em vigor desde então. A Resolução nº 56/09, que instituição a proibição, não foi revogada, e qualquer estabelecimento que anuncie câmaras de bronzeamento artificial “autorizadas pela Anvisa” não está dizendo a verdade.
As camas de bronzeamento são uma fonte potente de radiação UVA, que penetra profundamente na pele, alterando as fibras elásticas e de colágeno, o que provoca rugas, perda da elasticidade e manchas. Não há vermelhidão, pois a radiação UVB, que deixa a pele vermelha, está presente em menor intensidade.
Meia hora numa cama de bronzeamento equivale a quase oito horas de sol forte. Para o bem da saúde da pele, é melhor não usar esse aparelho!
A imagem pode conter: texto que diz "FIQUE LIGADO! Câmaras de bronzeamento artificial aumentam risco de melanoma MELANOMA BRASIL"
 
 
 

Receba nossa newsletter

Newsletter

Explore outros temas

Instituto Melanoma Brasil

faça sua parte, doe!

Receba nossa newsletter

Siga-nos nas redes sociais

Inscreva-se no canal

© 2022 Melanoma Brasil // Todos os direitos reservados

Seja um voluntário do Instituto

Faça parte do nosso banco de voluntários. Clique abaixo e preencha um formulário com seus dados e entraremos em contato para que você possa participar, com seus talentos, de ações desenvolvidas pelo Melanoma Brasil.

Faça sua doação!

small_c_popup.png

Cadastre-se

Receba nossa newsletter

Newsletter

X