O melanoma e outros tipos de câncer de pele são bastante raros em crianças e adolescentes. No entanto, eles não estão isentos da possibilidade de desenvolver a doença. Nos Estados Unidos, todos os anos cerca de 300 pacientes pediátricos recebem o diagnóstico do câncer de pele mais perigoso.

Nas crianças, diferentemente do que ocorre com os adultos, o melanoma está mais relacionado a síndromes hereditárias e a lesões de pele que podem sofrer modificações do que ao dano solar. Mas é extremamente importante iniciar as medidas de fotoproteção desde cedo,  pois os danos causados pela radiação ultravioleta são cumulativos. Um histórico de queimaduras solares na infância aumenta o risco de melanoma na idade adulta.

As crianças têm a pele mais sensível e delicada. Por isso, o melanoma nessa faixa etária se apresenta de uma forma diferente dosadultos. Enquanto nos adultos geralmente as lesões têm coloração escura, nas crianças elas costumam ser esbranquiçadas, amareladas ou rosadas. Os sintomas de melanoma infantil mais comuns são:

  • Saliências na pele que coçam ou sangram.
  • Uma lesão similar a uma verruga, de cor amarelada, esbranquiçada ou rosada.
  • Sinais de aparência estranha e tamanho grande, diferentes de outras pintas existentes no corpo da criança.

Os fatores de risco para o melanoma na infância são iguais aos dos adultos: pele clara, sardas, cabelos claros ou ruivos, histórico de queimaduras solares, muitos sinais espalhados pelo corpo, histórico familiar de melanoma ou câncer de pele.  

É importante lembrar que as crianças normalmente têm algumas pintas no corpo. Os sinais desenvolvidos nesta idade são os nevos, pequenas manchas marrons ou saliências, que surgem progressivamente e são mais comuns no tronco. Quanto mais intensa e frequente for a exposição solar, maior será a ocorrência dos nevos.

Normalmente, as pintas dos pequenos são benignas, mas mesmo assim os pais devem observar sua pele todos os meses e atentar para qualquer mudança ou anormalidade. Lembrando que uma quantidade excessiva de nevos  é fator de risco para melanoma.

Para saber se um sinal é suspeito de câncer de pele, os pais podem usar a REGRA do ABCDE, onde:

A corresponde à Assimetria. Sinais normais são assimétricos.

B corresponde a Bordas irregulares. Pintas benignas têm bordas arredondadas, e lesões potencialmente cancerígenas têm bordas irregulares.

C corresponde à Cor. Lesões benignas têm coloração uniformes, enquanto lesões cancerígenas têm diversas cores.

D corresponde a Diâmetro. Pintas maiores de 0,5 cm são suspeitas.

E corresponde à Evolução. A lesão que tenha alterações no tamanho, espessura, coloração ou apresente sangramento ou coceira pode indicar um câncer de pele.

Ao examinar a pele das crianças, observe todo o corpo, inclusive áreas não expostas, como couro cabeludo, pés, mãos e unhas.  Uma ideia interessante é anotar, a cada exame, os sinais existentes nas diferentes partes do corpo dos filhos, e verificar as mudanças ocorridas ao longo do tempo.