A descoberta de um câncer muitas vezes interrompe o sonho de muitas mulheres se tornarem mães. Mas quem tem câncer ou está passando por tratamento pode engravidar? A ginecologista e obstetra Carolina Oderich desvenda essa e muitas outras questões sobre gestação e o tratamento contra o melanoma.

Melanoma Brasil – Uma mulher em tratamento contra o melanoma pode engravidar?

Professora Dra. Carolina Oderich: A mulher em vigência de tratamento contra o melanoma tem recomendação de postergar as tentativas de gestação para após o término do tratamento, tendo em vista os riscos de uma possível quimioterapia para o desenvolvimento fetal. Porém, o risco de ocorrer uma gravidez espontânea existe e, portanto, é indicado realizar a contracepção durante o tratamento.

Melanoma Brasil: Caso a gravidez seja concebida durante o tratamento. Quais os riscos para a mãe e seu bebê?

Professora Dra. Carolina Oderich: O risco depende muito do diagnóstico de estágio do tumor e da necessidade ou não de tratamento com quimioterapia. A quimioterapia não é recomendada durante a gravidez pelos riscos ao desenvolvimento fetal. A cirurgia isoladamente pode ser realizada sem prejuízos para a saúde fetal. Para a mulher, o fato de interromper o tratamento da quimioterapia durante a gestação não mostrou maior mortalidade conforme o estudo de Antonelli (1996) que investigou o prognóstico (perspectiva) do melanoma na gestação. Existem relatos de metástase para o feto em mulheres com melanoma estágio IV, mas é raro.

Melanoma Brasil: Interromper a gravidez é indicado? Se sim, em quais situações?

Professora Dra. Carolina Oderich: O aborto é contra-indicado nos casos de melanoma, tanto nos casos de diagnóstico prévio ou concomitante a gestação. 

Melanoma Brasil: E quando a mulher já está grávida e descobre o melanoma. O que fazer?

Professora Dra. Carolina Oderich: Ela deverá, o quanto antes, consultar o médico obstetra e oncologista para discutir o acompanhamento da gestação, como por exemplo, a pausa na quimioterapia.

Melanoma Brasil – Que tipo de tratamento a gestante deve fazer para combater a doença? Cirurgias são indicadas?

Professora Dra. Carolina Oderich: A gestante poderá ser submetida a cirurgia para retirada do tumor. Em casos mais graves pode ser discutido o uso de algum quimioterápico mais brando, lembrando sempre que o bebê será submetido a todo o tratamento conjuntamente. 

Melanoma Brasil: Já quando o tratamento precisa ser interrompido durante a gravidez, quais alternativas existentes para que a doença não evolua?

Professora Dra. Carolina Oderich: As pesquisas demonstram que o curto período de tempo que o tratamento é pausado não modifica a sobrevida dessas pacientes nos estágios I e II. Apesar da grande preocupação com a disseminação e metástases da doença não há tratamento alternativo para a quimioterapia.

Melanoma Brasil: Após o parto como deve ser a amamentação? Ela é liberada?

Professora Dra. Carolina Oderich: A amamentação não é liberada para as pacientes que retomarão a quimioterapia por falta de segurança sobre a excreção dos fármacos utilizados.

Melanoma Brasil: Falamos bastante sobre gravidez antes e durante o tratamento de melanoma. E após, homens e mulheres que já tiveram melanoma podem ter filhos?

Professora Dra. Carolina Oderich: O tratamento quimioterápico para o melanoma não tende a interferir na fertilidade de homens e mulheres. Poderão sim, ter filhos se assim o desejarem e devem discutir sempre com seu médico esse desejo antes de iniciar a quimioterapia.

Melanoma Brasil: Quanto tempo após o tratamento é preciso esperar para engravidar?

Professora Dra. Carolina Oderich: Ainda não está padronizado o intervalo de tempo que a mulher deve aguardar para uma futura gestação. O tempo deve ser baseado no alto risco de recorrência da doença, da idade da mulher e desejo de gravidez. Usualmente esse tempo pode ser de zero a cinco anos.

Fonte: Revista Femina. Melanoma na gestação: conflitos x prognóstico. Volume 36, número 9, setembro de 2008.