Não faz muito tempo, a história de luta e superação de Ana Paula Crispim, que faz tratamento de melanoma há quase dez anos, foi compartilhada com todos vocês em nosso portal e redes sociais. Ela está de volta, desta vez dividindo um dos momentos mais especiais de sua vida, a gestação de um filho. Ana está grávida de sete meses de um menino e nos conta como concilia a gestação com o tratamento para melanoma.

Melanoma Brasil: Como e quando foi que você descobriu o melanoma?

Ana Paula Crispim: Eu descobri em 2008, meu filho tocou minhas costas e senti um leve incomodo. Depois disso, olhei no espelho e vi um sinal muito pequeno próximo a uma pinta de nascença. Fui ao dermatologista e por meio de uma biópsia dói diagnosticado o melanoma.

Melanoma Brasil: Ter filhos sempre foi um sonho para você?  

Ana Paula Crispim: Eu já tenho um menino de 21 anos. Sempre adorei crianças e tinha o sonho de ter mais um filho, mas tinha perdido as esperanças devido à doença. Agora estou grávida novamente, de mais um menino, o Luca.

Melanoma Brasil: Conte sobre a gravidez do segundo filho? Ela foi planejada ou te pegou de surpresa?

Ana Paula Crispim: Me pegou totalmente de surpresa. Ainda estava em tratamento com o medicamento Pembrolizumab. Torci o dedo do pé e fui ao médico fazer uma radiografia. Na consulta, o médico solicitou o BHCG, pois estava menstruação atrasada há cinco dias. Quando voltei para ver o resultado, o doutor me deu parabéns pela gravidez.

Melanoma Brasil: Você ainda faz tratamento contra o melanoma? Como é o tratamento durante a gravidez? Ele continua sendo controlado ou é feito uma pausa e o tratamento é retomado após o parto?

Ana Paula Crispim: Antes da gravidez ainda tinha dois pontos de captação no PET CT em linfonodos próximos ao pulmão. Porém, tive que interromper o tratamento, mas minha médica já estava pensando em dar um tempo com o medicamento. Assim que tiver o Luca vamos fazer um novo exame de imagem para avaliar.

Melanoma Brasil: E durante a amamentação, como fica o tratamento?

Ana Paula Crispim: Caso a doença esteja ativa, vou ter que interromper a amamentação para iniciar o tratamento.

Melanoma Brasil: Ao contar ao seu médico oncologista sobre a gravidez, qual foi a orientação recebida?

Ana Paula Crispim: Ele me orientou de todos os riscos, da evolução da doença ou possíveis problemas com o desenvolvimento do bebê. Ele também me deu a opção de interromper a gravidez. Acredito que o Luca entrou na minha vida por um grande propósito, ele está rodeado de muito amor, esperança e fé. 

Melanoma Brasil: O que a gravidez mudou na sua vida?

Ana Paula Crispim: Sou uma executiva com 20 anos de experiência. Sempre estive focada no trabalho, agora divido os tempos vagos e me dedico na preparação de itens para a chegada do Luca. Minha alimentação sempre foi regrada devido ao tratamento do câncer, agora na gravidez estou bem mais atenta a alimentação.

Melanoma Brasil: Como está a ansiedade para a chegada do bebê?

Ana Paula Crispim: Estou com 37 semanas. O bebê está super saudável de acordo com os exames. Nessa reta final, a ansiedade toma conta, mas vamos esperar ele engordar mais um pouquinho. Já a chegada dele está prevista para 17 de outubro.

Melanoma Brasil: Você planeja ter outros filhos?

Ana Paula Crispim: Acho que não dá mais tempo (risos). Já estou com 40 anos. 

Melanoma Brasil: Como você planeja sua vida para daqui cinco anos?

Ana Paula Crispim: Aprendi a viver somente o hoje. Acredito que a sociedade está passando por um momento de muita ansiedade. Todos pensam muito no futuro, vivem do futuro. Meus planos para o futuro é continuar trabalhando com o comércio internacional, criar meu filho com muito carinho e me dedicar ainda mais às pessoas que precisam de uma mensagem positiva quando se deparam com problemas de saúde.