Pacientes que tiveram melanoma não são elegíveis para a doação de órgãos ou de medula óssea, mesmo que se trate de um tumor in situ ou de um tratamento finalizado com sucesso há muito tempo. O histórico de melanoma inviabiliza a doação de órgãos não afetados pois algumas células cancerígenas podem permanecer no organismo, mesmo após a remoção do tumor. No entanto, assim como no caso da doação de câncer, os pacientes que desejam contribuir com a causa não precisam e nem devem desistir! Existem inúmeras maneiras de se mobilizar: trabalho voluntário, participação em campanhas de incentivo, divulgação de informações... Opções não faltam! Atualmente, o Brasil tem quase 33 mil pessoas à espera de um órgão ou tecido ocular. Toda forma de participação é extremamente importante!