Índice de Breslow e Nível de Clark são detalhes importantes para o prognóstico do melanoma. Ambos são utilizados pelo médico patologista para estabelecer a profundidade do tumor. O índice de Breslow mede a espessura da lesão em milímetros, desde a epiderme até as células tumorais mais profundas na pele. Foi o falecido patologista Alexander Breslow quem mostrou a relação entre a espessura do tumor e a sobrevida. Quanto mais superficial a lesão na remoção, melhor o prognóstico.

Já o Nível de Clark é um sistema baseado na anatomia cutânea. Ou seja: conforme o Melanoma se aprofunda nas camadas da pele (epiderme, derme papilar, derme reticular, tecido subcutâneo), os níveis de Clark aumentam, em uma escala de I a V (um a cinco). Em 1969, o Dr. Wallace Clark relacionou a sobrevida com a profundidade de infiltração da derme, sendo que os níveis 1 e 2 têm melhor prognóstico. No entanto, atualmente, o Índice de Breslow vem sendo mais utilizado que o Nível de Clark no estabelecimento de condutas.