O acompanhamento de uma pessoa que tratou melanoma depende do estágio da doença. O objetivo é identificar precocemente recorrências passíveis de cura, assim como reconhecer novos cânceres primários, pois a incidência de um segundo melanoma é maior.

Nos estágios iniciais, a recorrência inicialmente ocorre no local ou nas proximidades do tumor primário. Nos estágios mais avançados , a maior parte das recidivas são sistêmicas, ou seja podem ocorrer em outros órgãos. Em geral, os pacientes fazem exames de sangue, radiografia de tórax. Conforme a gravidade do tumor, podem solicitadas tomografia de tórax e abdome. Em casos mais graves, recomenda-se ainda ressonância magnética cerebral, e se houver disponibilidade, PET-CT. Cada opção deve ser debatida individualmente com o médico.

A incidência do melanoma continua aumentando, reforçando a importância de um diagnóstico o mais precoce possível e da máxima atenção quanto aos sinais suspeitos.