A luz visível, como o próprio nome diz, é a luz que podemos enxergar a olho nu. Emana com o sol, com as lâmpadas artificiais, com celulares, tablets e outros equipamentos eletrônicos. Representa de  40 a 45% de toda a radiação que atinge a superfície da Terra e também pode danificar a pele.

Essa radiação é menos energética e perigosa que a radiação ultravioleta, que emana com a luz do sol. No entanto, a luz visível, somada aos raios UVA, acelera o envelhecimento, pois atinge a pele mais profundamente, causando manchas, e produz radicais livres. A fonte natural pode predispor ao câncer de pele, mas são necessários mais estudos que confirmem a possibilidade. Acredita-se que as fontes artificiais de luz visível como lâmpadas e equipamentos eletrônicos, não prejudicam a saúde da pele.

Relembrando:

Radiação UVB – é a mais nociva das radiações. Incide das 10 às 16 horas, atingindo mais superficialmente a pele. Causa queimadura e vermelhidão. Pode levar ao câncer de pele.

Radiação UVA – Presente o dia todo. Danifica a pele de forma cumulativa, mais a longo prazo. Incide mais profundamente que a radiação UVB, predispõe a rugas e também ao câncer de pele.

Para a síntese de vitamina D induzida pela radiação solar, sugere-se alternar as partes do corpo a serem expostas, cerca de 10 minutos por dia, com exceção da face e braços, pois são as áreas mais cronicamente expostas.

Para a síntese de vitamina D induzida pela radiação solar, sugere-se alternar as partes do corpo a serem expostas, cerca de 10 minutos por dia, com exceção da face e braços, pois são as áreas mais cronicamente expostas.

Como reduzir os danos da luz visível?

Filtro solar com cor de base, pois faz barreira física

  • Óculos de sol
  • Roupas
  • Película nos automóveis
  • Sombra, guarda sol, chapéu

Devemos nos lembrar que a exposição excessiva a doses altas de radiação solar ocasiona queimaduras, envelhecimento precoce e câncer de pele. Exponha-se de forma segura e aproveite o melhor do sol.