“A vida é para ser vivida. Não sofro mais por antecipação”- essa foi uma das frases que mais me tocou no depoimento de Denise Suchodolak, que vocês lerão logo mais na seção “Eu senti na pele”. Receber o diagnóstico de melanoma não é nada fácil, ainda mais porque muitos desconhecem a doença e tem aquela impressão de que todo tipo de câncer de pele tem cura. Depois que o “furacão” da notícia passa, iniciam-se os exames, possíveis tratamentos, o processo de aceitação e seguimos em frente na jornada de um paciente com câncer.

A cada novo exame, aquele frio na barriga e o medo do retorno da doença parecem nunca nos abandonar. Mas como bem colocou a Denise, devemos fazer o exercício diário de não sofrer por antecipação. E não só com o câncer, mas com qualquer desafio que a vida nos coloca a frente. Falaremos, nessa edição, sobre recidiva do melanoma e seus desdobramentos. Mas se já posso deixar a vocês, queridos leitores, um depoimento pessoal e um conselho de “amiga de pinta”, é que possamos viver o melhor de cada segundo do nosso dia sendo gratos a Deus por mais um dia em que podemos olhar para cada desafio, cada dificuldade, cada surpresa, como uma oportunidade! Oportunidade de superar, recomeçar, avançar, mudar!

Um grande beijo a todos vocês. 

Rebecca Montanheiro

Presidente do Instituto Melanoma Brasil