Estou com câncer. E agora?

A vida tem um ritmo e surpresas ao longo do caminho que às vezes nos assustam. Como diz a música: “há um minuto tudo estava em paz”.

Ao receber um diagnóstico tão sério como de um melanoma, conhecer a doença, seu significado e gravidade são geralmente os primeiros passos dados pelo paciente. No entanto ainda é preciso lidar com os inúmeros sentimentos e emoções e até mesmo uma sensação de anestesiamento, de paralização.

Encarar o problema nem sempre é fácil e requer coragem e esperança!

Seja como paciente ou como familiar, é preciso estar atento aos diversos momentos que se enfrenta após um diagnostico de câncer:

- Negação da gravidade e de como a rotina será modificada, e que isto não faz parte deste momento;

- Revolta: Porque comigo? O que eu fiz de errado? Por que na nossa família? 

- Aceitação, o momento de realmente entender o que está se passando e que não se é a doença  mas que, apesar dela, continua-se a ser uma pessoa, a ter sentido para viver e um percurso a percorrer. Aceitar os cuidados que se fizerem necessários e limitações momentâneas ou até mesmo permanentes. 

- Compromisso de fazer o tratamento com esperança, ter compaixão de si  mesmo e com os seus queridos que estão prestando os cuidados. Compromisso em continuar a viver da melhor forma possível, convivendo com os ocasionais “fantasmas” da jornada.

A vida é tão rara, rápida e única, que apesar de precisarmos de um tempo de lamento, não podemos ficar nele, mas devemos seguir em frente e descobrir as outras preciosidades que nos reservam os tempos difíceis da vida!

Um grande abraço,

Mirian Montanheiro

Psicóloga especialista em psicoterapia breve e terapia cognitivo-comportamental

CRP 08/17.939